quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Lista das coisas que eu quero fazer em um ano

Eu passei dois anos da minha vida apenas vivendo um dia de cada vez, sem expectativas a longo prazo, sem planos longos, sem viagens, sem sol, sem praia, sem muita vida livre. No dia do meu aniversário de 24 anos eu pude parar pra refletir em quanta coisa mudou nesses dois anos, em como eu mudei e em como é maravilhoso estar viva e poder planejar (de novo) um futuro pela frente. Claro que a vida não tem manuais de intruções, que a gente aprende errando, que a gente sai machucado, calejado, que a gente sai mais forte de tudo.

Hoje eu posso com propriedade sentar, pensar em como eu quero estar daqui um ano e sonhar com isso. Sem doença, sem medo, sem surpresas ruins. Estar saudável é muito bom, mas passar por uma doença e reviver é surreal.

Eu quero terminar essa graduação (greve, dá uma trégua), quero trabalhar em qualquer coisa por um tempo que me dê a oportunidade de viajar pelo menos uma vez ao ano pra um lugar legal, quero fazer mestrado, pós, quero prosseguir com o projeto de ser professora (acho que tá dando certo), quero continuar com os cabelos curtos, quero voltar com as aulas de piano, amolar meu alicate que eu nunca amolo, aprender a fazer delineador gatinho sem me borrar, talvez deixar os cabelos crescerem até o ombro (essa eu não garanto), levar mais a sério o projeto de escrever, ler mais autores, parar de ser indecisa, parar de ter medo do novo, ir mais a praia, não ter preguiça de tirar a maquiagem, cuidar de alguma planta (tá na hora), ter menos preguiça, praticar alguma atividade física que não me deixe desistir antes do primeiro mês (!!!!), parar de comer porcaria, cortar refrigerante, aprender a fazer pudim, ouvir mais as pessoas, me importar mais, entrar em alguma ong, fazer a diferença na vida de alguém. Viver!

Tudo pode dar errado, tudo pode dar certo, eu posso querer mudar isso tudo em 6 meses, e provavelmente vou mudar. Mas é muito reconfortante, muuuuito mesmo saber que eu to bem, que eu to viva, que tudo que eu passei me tornou mais forte, mais sensata, mais empolgada com a vida. 

Até a próxima! Bem vindos, 24 anos!!!

sábado, 3 de outubro de 2015

Temporada das flores

Outubro sem dúvidas é o mês mais lindo de todos pra mim. Mês em que eu nasci duas vezes. Dia 16, dia em que vim ao mundo e dia 23, minha última sessão de quimioterapia. Porque eu renasci junto com todas as minhas células, eu sobrevivi, eu venci!

Fazendo um balanço de tudo que eu passei desde a infância, percebo quanta coisa eu já vivi. Desde as mais bads e pesadas quanto as experiências mais lindas que fazem a gente ter um nó na garganta só de lembrar. Eu me lembro dos meus outubros de criança onde a minha maior preocupação era escolher um desenho pra ver de manhã, ou então, que tipo de brincadeira ter na rua com as outras crianças.

Também me lembro do problema de coração que eu tinha e que sempre caía no meio das brincadeiras ou das vezes que eu chorava com dores fortes na minha perna e minha avó passava remédio pra eu melhorar. Ou dos episódios de Chaves comendo danoninho, ou dos abraços que eu ganhava das pessoas que eu amava. O mundo inteiro cabia dentro de um abraço.

E eu percebo que o meu dom é sempre enxergar o lado bom da vida, das coisas e das pessoas. E me satisfaz saber que eu tinha tudo pra ser uma pessoa amargurada, cheia de ódios e traumas e escolhi superar isso. Escolhi trilhar a minha caminhada e deixar aroma por onde eu passar. Meu caminho é florido. Isso não indica que eu não pise em espinhos, que não chova, mas que tudo vale a pena porque o cheiro que exala das flores faz tudo valer a pena.

24 anos de nascimento, 2 anos de vida. Sou uma criança em busca de novas experiências. Caio, choro, fico triste mas sempre levanto e volto a brincadeira.

Viver é a maior aventura de todas.
Foto: Suzy Alves Fotografias/Arquivo pessoal.