quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Eu sou a menina mais feliz do mundo!

Hoje tô reflexiva. Pensando muito na vida e em como as coisas acontecem e fogem do nosso controle. Eu me lembro que nos primeiros minutos do ano de 2013 eu só pedi uma coisa: saúde. Olha que ironia, né? Foi justamente o ano em que eu fiquei doente. Os nossos maiores medos, angústias, as conquistas, as doenças e tudo mais que fazem a vida da gente está fora do nosso controle. Hoje na delegacia um policial veio me perguntando quantos anos eu tinha porque na cabeça dele eu era "novinha" demais pra ter câncer. Aí eu fiquei pensando: e câncer tem lá idade pra aparecer? Quando eu era mais nova, acreditava num mundo perfeito onde ninguém nunca ficava doente ou triste ou com o coração sujo de maldade. Aí eu fui crescendo e percebendo que a vida vai transformando a gente e que as coisas acontecem deixando a gente sem o controle da situação. E se tem uma coisa que eu não gosto é perder o controle da situação. Hoje foi um dia de muita gratidão. Fiquei feliz por estar andando, por estar comendo, por estar respirando. Eu tô na reta final desse tratamento e tô muito agradecida por tudo que a vida me ensinou, por todos os ensinamentos que tô tirando dessa experiência. Pelos novos olhos que ganhei pra enxergar a vida em outros ângulos, pela força de vontade em lutar e vencer, pelo meu sorrisão que não foi embora. Hoje eu sou grata por tudo. Pelas experiências que me trouxeram até aqui. Pela minha família que me ensinou os princípios que levo e levarei pra minha vida toda. Hoje eu estou completamente satisfeita comigo mesma. Me olho no espelho e gosto do que eu vejo. Não tô falando de estética, mas na pessoa em que eu me transformei. Sinto que as pessoas olham pra mim e sentem coisas boas. Isso é fundamental. Você conseguir transmitir pras outras pessoas a sua alma. Eu acho que eu sou a pessoa mais feliz do mundo. Conheci várias pessoas também com linfoma que durante o tratamento me ajudaram a passar por tudo isso. Fiz uma grande amiga, a minha branquinha do sul que hoje veio me contar que a sua última sessão de quimio será na terça que vem. Aí o meu coração quase explode de tanta alegria por ela. Por saber que mais uma amiga tá vencendo e que daqui a pouco todos eles também vão comemorar comigo. Adri, você foi minha companheira de luta desde o começo. A gente trocava experiências, falávamos do que tínhamos medo e nos demos força. Você foi e é muito importante pra mim. Quero sua amizade pra sempre! Eu tô custando a acreditar que estamos no fim de setembro e que só faltam duas sessões pra mim. E o melhor: outubro é o mês do meu aniversário! Vou comemorar meus 22 anos uma semana antes da última quimio. Acho que vou passar a semana inteira chorando de alegria! É, duvido ter alguém aí mais feliz que eu.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Quimio 10

Eu não senti absolutamente NADA depois da quimio 10. Não tenho muito o que dizer. Só que estou completamente realizada e feliz por estar me curando. Obrigada a todos que oram, torcem e desejam o meu bem. Vocês fazem parte dessa história. O dia está muito quente e amanhã é meu primeiro dia de trabalho. Estou com as melhores expectativas possíveis pra minha vida a partir de agora. Estou tossindo muito mas associo ao tempo que está muito seco aqui em Aperibé. Estou torcendo por uma chuvinha essa noite para o meu dia ficar completo. Por hoje é só. Estou bem porém cansada da viagem.

sábado, 21 de setembro de 2013

A hipocrisia global

O câncer é um assunto que vem ganhando espaço nas novelas globais mas isso não significa que esse espaço todo esteja sendo bem utilizado. Eu era bem pequena ainda quando vi a cena da Camila, personagem de Carolina Dieckman chorar ao raspar a cabeça por conta da leucemia. Agora o assunto retorna na novela "Amor à vida" com duas personagens enfrentando o câncer. Uma é a da menina Nicole que descobre ter um câncer em fase terminal. Por coincidência o autor teve a infelicidade de colocar na personagem o mesmo câncer que eu tenho e que domino muito do assunto: linfoma de Hodgkin. Segundo o autor da novela, Nicole viveria no máximo 6 meses pois o seu câncer já estava no estágio IV. O mais avançado. Bom, pelo que eu vivenciei com pessoas que assim como eu lutam contra o linfoma é uma história bem diferente onde, em alguns casos, fizeram transplante da medula e se recuperam bem, mesmo no estágio IV. O drama da menina não é justificado momento nenhum. Marina Ruy Barbosa que interpreta a Nicole se recusa a raspar a cabeça em prol da personagem e o autor resolve "dar um fim" nisso tudo matando a pobre menina que só sabia chorar e reclamar que os cabelos estavam caindo. Ele a transforma em fantasma. Tem coisa mais bizarra que isso??? Agora, não satisfeito com toda a asneira que fez, coloca um câncer de mama na personagem interpretada pela Carol Castro, onde a mesma se desespera ao saber que vai ter que retirar totalmente a mama. Ninguém, absolutamente ninguém fica satisfeito ou contente com um diagnóstico de câncer mas às vezes me pergunto qual a finalidade da globo em colocar esses casos na novela e mais ainda: será que eles pensam na quantidade de pessoas que serão atingidas com essas histórias? Milhares de pessoas descobrem por dia que terão uma luta contra o câncer e quando veem uma coisa dessas numa novela que atinge a maioria da população num horário nobre, sinceramente, se desmotivam. Nem todo mundo é forte como eu e enfrentam bem o câncer como eu enfrentei. Tenho dó e muita pena das pessoas que perdem seu tempo com a globo e mais pena ainda dos autores que só escrevem fins trágicos para os pacientes de câncer. Em breve vou me livrar de tudo isso e ser a prova viva e exemplo de que ao contrário do que prega a globo, o câncer tem cura sim.

Vou trabalhar

Eu já disse outro dia que as minhas maiores conquistas chegaram no período do câncer. Olha essa história. Há pouco mais de 1 mês me cadastrei num site para concorrer a uma (UMA VAGA) da polícia civil. Era uma coisa tão inimaginável pra mim que na época nem liguei pra ela. Achei que jamais ia passar e conseguir. Mas não é que eu passei na prova objetiva? Fui chamada pra uma entrevista no mesmo dia e uma semana depois já estava selecionada para o treinamento. No meio disso tudo esperei a faculdade voltar com a minha matrícula que estava trancada e assinei nessa semana os documentos. Vou faltar uma vez na semana até o fim do tratamento. Eles foram bem bacanas comigo. As pessoas ficam um pouco surpresas quando eu falo que vou trabalhar ainda em quimioterapia. Até eu fico surpresa com isso. No começo do tratamento achei que não ia ter forças pra nada. Todo mundo que eu conheço que teve câncer ficou bem fragilizado e eu não fiquei assim. Não tenho cara de doente. O fato é que eu to explodindo de felicidade e queria compartilhar isso com vocês que torcem e me acompanham desde sempre. Torçam por mim nessa nova etapa da minha vida. Tô feliz e realizada.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Dor

Eu não sou uma pessoa triste. É que hoje eu estou sentindo dor. A dor no corpo que a quimioterapia causa, é uma dor que eu nunca senti na vida e acho que não consigo descrever direito. É como se eu tivesse sido atropelada por um trator e depois ter levado uma surra. Não há uma parte no meu corpo que não tenha doído hoje. Hoje foi um péssimo dia. Ontem, ao chegar de Campos percebi que estava me sentindo mais pesada que o normal. Meus pés incharam tanto que a sapatilha quase não entrou. Minhas mãos ficaram tão inchadas que não dobravam mais. Hoje eu não entrei nem na calça mais larga que eu tenho. Tô péssima. Tô horrível. Meu rosto tá todo marcado. Meus olhos estão pequenos e os seios pulando da blusa. Nada mais tá cabendo. Nunca a retenção tinha sido tão forte assim. Eu sei que amanhã as coisas vão estar melhor. Hoje me deu de novo aquela vontade de chorar. De colocar tudo pra fora. De gritar até o mundo inteiro ouvir. Não tô legal. Eu odeio fazer quimioterapia. Eu odeio sentir enjoo. Eu odeio o cheiro do álcool. Eu odeio ter que ficar esperando pra ser consultada. Eu odeio ter ficado com a cicatriz do cateter. Quimioterapia é um mal necessário, embora aliada contra a luta, pode ser nossa algoz. Posso falar por mim, embora a cada quimio eu esteja mais debilitada e os efeitos colaterais muito fortes, ter fé, paciência e não estar só, alivia e muito tudo isso. Todo mundo diz que eu sou corajosa mas não sou assim sempre. Tenho preguiça de me arrumar, preguiça de passar algum desconforto, preguiça de fazer o mínimo de esforço. Medo de gastar dinheiro, medo de não gostar, medo de estar gorda, medo de me sentir feia, mas principalmente, medo de sair do protocolo. De um modo geral tudo que é novo me traz insegurança, me amedronta, me assusta. É preciso saber viver. Tenho que aprender a viver.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Voltei!

Pisar na UFF depois de tudo que eu passei foi uma das experiências mais incríveis que eu tive. Foi só comigo mesma, sabe? Aquela sensação de estar viva, de ter saído do sufoco e ver que as coisas continuam ali, te esperando. Não dá pra descrever bem o que eu senti. Abracei todo mundo que eu quis. Nossa, como eu estou feliz essa semana. Tô rindo muito e de tudo. Tô com cara de boba. Eu nunca tive medo de morrer, mas sempre tive pena. Pena em pensar que tudo que eu sempre quis fazer não ia se realizar. É muito bom ter esperanças e poder fazer planos. É muito bom estar viva! Não morra antes do tempo. Daqui pra frente é só alegria novamente e viva a vida!

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Quimio 9

Ufa! Que dia cansativo! Tô esgotada. Cheguei no INCA às 7 e comecei a quimio às 7 e 15. 3 horas. Enjoei, é claro. Peguei dois sacos de vômito que ainda bem não precisei usar. Acabando a sessão foi hora de passar no andar de medicina nuclear pra marcar o PET. 1 de novembro. Dia que vai definir tudo. Dia que vai oficializar a minha cura e saída dessa tempestade. Puxa vida, como eu quero isso! Parece estar tão longe mas já aprendi a lição: um dia de cada vez pra não pirar e sair correndo. Marcado o exame, fui para o ambulatório de dermatologia cuidar das feridinhas que apareceram na axila (que dói e manchou tudo) e da acne que inflamou e deixou o meu rosto cheio de mini crateras. Ganhei uma caixinha super chique de protetor solar e amanhã já vou passar na farmácia pra comprar o restante da medicação pro rosto. Descobri um santo remédio que tá me ajudando a deixar o paladar mais doce e com menos gosto de química: pastilha de menta, um santo remédio! No fim é até legal você ir descobrindo as novas reações do seu corpo e se acostumando com ela. Hoje quis me ameaçar dar febre mas logo passou. Sinal que a imunidade tá baixa e olha que eu tenho me cuidado e evitado ficar saindo. As palmas das mãos estão vermelhas de tanto sangue acumulado e as unhas dos pés bem roxas. Ainda tô parecendo um tatuzinho de tão inchada mas dessa vez não tô ligando pra isso não. Tô me sentindo no fundo do poço e o lado bom disso é saber que daqui pra frente é só olhar pra cima. Pior que tá garanto que não fica. Não tá fácil mas tá acabando. Faltam 3 sessões. Em breve isso tudo é passado. Tô feliz, como sempre.

domingo, 8 de setembro de 2013

Ansiedade

Tô ansiosíssima. Nível 10. Essa semana vai ser muito importante pra mim. Muita informação de uma vez. Vamos lá: amanhã é dia da quimio 9! Gente, como passou rápido! Parece que foi ontem que a menina do linfoma tava toda assustada porque nem imaginava o que era essa tal de quimioterapia. Ainda bem que tá sendo assim. Amanhã, além de fazer a quimio já vou marcar o PET/Scan! Isso mesmo! O exame mais importante que marca o começo e o fim do tratamento. Esse exame super, mega importante mostra se resta alguma célula com câncer no corpo. Caso ele não mostre nada (que vai ser o meu caso) eu entro em controle da doença e ADEUS quimioterapia e tratamentos! Só vou precisar ficar indo no INCA pra consultas mensais e pra fazer a manutenção do cateter. Eu nunca pensei que o meu presente de aniversário mais sonhado, mais desejado fosse estar com saúde e não aquele sapato fantástico da vitrine. Como as coisas mudam. Como eu era superficial! Essa semana também é dia de voltar às aulas! UFF, tô chegando! A coisa que eu mais senti falta durante o tratamento, sem dúvidas foi da faculdade e dos amigos que fiz através dela. Nossa, é muita emoção pra uma pessoa só. Agora tá acabando e eu tô voltando! Como eu desejei isso! Como tudo que eu desejei tá virando realidade! Um brinde a vida porque ela é fantástica, não acha?