segunda-feira, 29 de julho de 2013

Quimio 6

A quimio 6 foi complicada. Tomei várias agulhadas até acharem o cateter e estou enjoada nível 10. Pela primeira vez em todo o tratamento, perdi a fome. Não estou conseguindo nem olhar pra comida sem ter vontade de vomitar. Sabe, depois dessas 12 semanas de tratamento, meu corpo tá pedindo um descanso. Não estou aguentando fisicamente essa coisa de horas na estrada viajando. Por outro lado, estou completamente feliz porque cheguei na metade do tratamento. Isso é muita coisa. Não fraquejei muito menos pensei em desistir. A minha cura está próxima e esse sofrimento vai acabar em breve! Bola pra frente, cabeça erguida sempre!

domingo, 28 de julho de 2013

Amigos

Estou um pouco ansiosa. Amanhã é dia da quimio 6! Nossa, como o tratamento tem passado rápido. Isso é bom, mostra que eu não fiquei parada no tempo como eu pensei que ficaria. Estou na metade do tratamento. Isso é bom, dá ânimo em saber que permaneci forte até aqui. Mesmo sendo cautelosa e não saindo de casa, fiquei gripada. Isso confirma o que eu achei: minha imunidade está baixíssima. Tenho que tomar muito cuidado. Hoje tirei o domingo pra refletir na quantidade de ajuda que tenho recebido dos amigos. Alguns ajudam dando lenços, outros com palavras amigas e outros desejando força. Quero dizer que vocês não tiram o sofrimento de mim mas fazem o meu caminho menos doloroso. Muito obrigada!

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Sinto falta

Sinto falta dos meus cachos. Isso é inevitável. Sou otimista. A cada dia invento uma novidade pra careca, um lenço novo, uma amarração diferente, um chapéu e até mesmo um gorro. O fato é que estou tendo que aprender a valorizar outras coisas em mim e deixar a vaidade de lado. Isso é uma lição pra vida. Tudo o que eu gostaria era poder sair de casa sem ter hora pra voltar, sem me preocupar em desmaiar no meio da rua, sem ter obrigações chatas toda semana com o hospital. Gostaria de poder comer besteiras e não ter hora para comer. De poder tomar um copão de refrigerante e não estar nem aí pra saúde. Queria isso tudo mas não posso. Quando você fica doente, a vida muda, a rotina muda. Aí você percebe que o que mais vale e está em jogo não é o cabelo, nem uma roupa bacana mas sim a sua saúde a sua vida e passa a agarrar esse pensamento com todas as forças e luta pela vida.

domingo, 21 de julho de 2013

Curiosidades

Então, gente... Meus amigos estão tendo algumas dúvidas com relação ao tratamento e ao blog, então decidi hoje matar a curiosidade de todo mundo e mostrar o meu cateter! Calma! Não precisa tirar as crianças da frente do computador! Ele é diferente da ideia que a gente tem de como é o cateter. Então... quando eu dei início no inca, soube que teria que colocar o cateter totalmente implantável pois ele é mais tranquilo que ter que tomar quimio nas veias toda a semana. Sempre foi um sacrifício para todos os enfermeiros do mundo colher meu sangue. Imagina ter que levar várias agulhadas até acharem uma veia minha em todas as sessões de quimio? Não rola, né? Concordei na hora e marquei a cirurgia pra uma semana depois. A cirurgia foi feita por uma equipe médica bem competente e formada só por mulheres! Ufa! Me deixaram mais aliviada! Me deram uma anestesia local e começaram o processo. Durante a cirurgia, a médica me falava o que estava fazendo e onde estava mexendo o tempo todo para me tranquilizar. Incomodou bastante. Às vezes, parecia que estavam fazendo alguma coisa errada e eu tinha a sensação que ia morrer no centro cirúrgico, mas era somente a pressão do cateter sendo colocado no tórax. Durou aproximadamente 1 hora. Depois que acabou, saí toda sorridente do centro cirúrgico. A médica que colocou o cateter, me parabenizou pela minha coragem e determinação em não ficar reclamando na hora da cirurgia e atrapalhando ela de fazer o seu serviço. Ela disse que só nos veríamos novamente quando eu fosse retirar o cateter e eu soltei um "até breve então". O meu cateter é igualzinho o da foto, mas não se assustem: ele fica por dentro da veia e ninguém percebe que eu tenho ele, claro que a cicatriz ficou, mas eu nem ligo. Aí, em todas as sessões de quimio, o enfermeiro dá um furinho bem no centro dele e coloca uma agulhinha cheia de cabos, que é por onde entra a medicação em mim. Só sinto uma espetadinha e nem dói como todo mundo fala! Agora vou mostrar como o meu ficou: Viram? Não ficou nada fora do normal! Vou ficar com ele um tempinho depois do tratamento, até o médico achar seguro tirar pois sabe que a minha doença NUNCA mais vai aparecer! Espero ter esclarecido! Ah, uma outra curiosidade bem comum que eu prometi que ia explicar e sempre deixo passar é sobre o título do blog. "A menina do linfoma" foi uma forma carinhosa de homenagear o querido Dr. Félix, médico que me acompanhou em todo o processo de diagnóstico da doença e que sempre que falava comigo por telefone dizia: "ah, é a menina do linfoma, né?".

sábado, 20 de julho de 2013

Não sou sempre legal.

Hoje foi um dia tão intenso que até me deu vontade de compartilhar com vocês. Já chorei, já ri pra caramba hoje, já me estressei, gritei comigo mesma e soquei a parede. Tudo normal. Como eu venho dizendo, acho que não preciso estar bem, de bom humor o tempo todo. Seria hipocrisia minha dizer que sou feliz e alegre o tempo todo. Eu não sou. Fiquei com raiva por não me sentir bem vestindo um short jeans e me sentir a pessoa mais gorda do mundo na frente do espelho. Saí de casa e voltei pois perdi a coragem de ir na rua. Voltei, chorei mais ainda, me vesti e decidi que ia sair de casa sim, mesmo me sentindo feia. Não adianta tentar me consolar dizendo que isso tudo vai passar e que eu sou forte, porque eu já sei disso tudo. Às vezes é bom chorar, colocar pra fora tudo que tá incomodando. Tô cansada, meu psicológico tá cansado da mesma barra pesada toda semana. O corpo descansa mas a mente não. Outra coisa que está me incomodando é esse monte de gente que diz que eu sou guerreira e muito corajosa. Gente, regrinha básica: a gente só sabe o quanto de força nós temos quando temos que colocá-la a prova. Não sou mais corajosa que você. Eu simplesmente estou passando por uma situação que a maioria das pessoas se assustam só de pensar. É isso, somente. Talvez você faça coisas que eu gostaria de ter coragem pra fazer e não tenho. Não sou a mulher maravilha nem de longe. Tenho um monte de medos, de dúvidas, me irrito com coisas mínimas! Em tudo isso o que estou vivendo o que mais me preocupa é o manequim! Vejam que banalidade! Sabe o que eu mais queria? Que vocês que me acham "a sensacional" colocassem em prática coisas que fariam de fato a diferença; Eu escrevo e é legal, mas isso não muda nada. São somente palavras que me ajudam a desabafar. Que tal você decidir doar sangue? Você imagina quantas pessoas morrem por dia por falta de sangue? Ou então: por que não dar um belo sorriso ou um abraço para aquela pessoa que você sabe que está precisando? Palavras não fazem a diferença. As ações sim. O que eu quero de verdade é mostrar que tem muita gente precisando da nossa ajuda. Eu estou bem mas tem muita gente que não encara como eu toda essa luta. Faça a diferença na vida de alguém hoje. Isso é ser humano. Isso é ter amor.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Mais um dia

Hoje a menina do linfoma acordou feliz e muito disposta. Já fiz uma caminhada, me alimentei e fiquei muito bem em saber que não estou gorda como eu pensava mas sim, inchada. Isso mesmo: os tratamentos quimioterápicos causam inchaço pois fazem você reter líquidos. Vou tentar evitar os alimentos que facilitam esse processo pra ver se dá uma aliviada e eu volte a usar roupas jeans e as que não cabem mais em mim! rs Além do inchaço, estou com a boca muito, muito seca. Não tem saliva suficiente pra molhar a boca toda e eu tô sempre andando com uma garrafinha de água por perto. Ontem me deu a louca e eu criei coragem pra passar a máquina zero na cabeça e quer saber? Eu adorei!!! Achei uma sensação de liberdade incrível! Acho que todo mundo deveria cometer uma loucura dessas pelo menos uma vez na vida! Tô me aventurando pra caramba e tô adorando essa nova fase! Beijos pra vocês, queridos que não me abandonam!

terça-feira, 16 de julho de 2013

Dona Carequinha!

Pelo meu sorriso dá pra ver que eu AMEI, né?

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Quimio 5 - Mais um degrau.

Mais um degrau rumo a minha cura, a minha vitória! A quimio 5 foi muito pesada e me fez sentir muita falta de ar e coceira por todo o corpo que logo foi controlada com o medicamento certo. Estou esgotada porém satisfeita com o que tenho ouvido do médico. Estou respondendo melhor do que o imaginado ao tratamento e os exames comprovam que a quimioterapia está fazendo efeito. Com a quimio 5 o cabelo parou de brincar e começou a cair de verdade. Se eu criar coragem, amanhã vou passar a máquina na cabeça. Sem problemas nenhum. Acho que vai ser menos doloroso que ver eles indo embora pelo ralo. No mais é isso. Estou forte, firme e extremamente feliz. Tudo tem dado certo e logo logo estou de volta fazendo tudo que eu gosto e tenho saudades.

sábado, 6 de julho de 2013

Sorria :)

Sorria porque a noite passou e o sol nasceu trazendo com ele todas as alegrias possíveis pra um dia de sábado. Ontem não foi um bom dia. Hoje está sendo um dia maravilhoso. A crise de ansiedade passou com o remédio certo, o inchaço resolveu dar uma trégua e meus lábios voltaram a sorrir. Isso não é pouco. É simplesmente maravilhoso!

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Dia Down

Hoje não foi um bom dia. Ou melhor: ontem não foi uma boa noite. Não sei por qual motivo mas não consegui dormir e isso me afetou drasticamente. Estou virada. Meu corpo todo doi. Minha mente está confusa, acho que tive uma semi-alucinação. (Nem sei se isso existe). Hoje pela primeira vez fiquei desanimada. Não por duvidar da cura, mas por saber que daqui a alguns dias tudo que eu estou sentindo vai voltar e será sempre assim até outubro. Me deu vontade de chorar mas preferi ser forte e tentar pensar em alguma coisa que não me fizesse enjoar lembrando do cheiro de hospital. Acho que ninguém precisa ser forte o tempo todo. Somos fracos e fortes ao mesmo tempo. Eu pelo menos sou assim. Hoje só quero que tudo isso passe e que logo logo se torne uma lembrança bem antiga. Hoje não foi um bom dia.

terça-feira, 2 de julho de 2013

Quimio 4

A quimio 4 foi tranquila sem apresentar muitos efeitos colaterais. Claro que a queda gradativa do cabelo é um efeito colateral mas é normal acontecer. Sabe, agora faltam 8. Minha médica disse que talvez nem vou precisar passar pela radioterapia pois meu tumor não "estacionou" em órgão nenhum! Ufa! Radio é beeem mais forte que quimio! Meu PET ainda não ficou pronto indicando o estágio do câncer do meu corpo, mas estou super animada com ele e tenho certeza que o câncer está sendo controlado. Ontem ganhei de presente meus primeiros dois lenços. Ainda não sei usar mas sei que uma hora ou outra vou ter que tomar a iniciativa de raspar a cabeça. Isso não vai me abalar. Estou forte, confiante, com foco e muita fé. Tem acontecido tanta coisa boa na minha vida. Tantas surpresas boas. Tenho conhecido tanta gente legal que sei que estão entrando na minha vida pra ficar. Conhecer o Rio está sendo uma surpresa. Eu sempre quis conhecer mas nunca tive a oportunidade. Estou muito feliz com o rumo que a minha vida tem tomado. Feliz mesmo. Completamente satisfeita. Aprendi que nada acontece em vão e que coisas consideradas ruins podem estar vindo pra sua vida pra te deixar mais forte, mais feliz, mais você. Bom, pelo menos foi assim e está sendo assim no meu caso. Viva la vida, caro leitor!