terça-feira, 25 de junho de 2013

Caminhos

Tô tentando entender por que a vida fez isso comigo mas até agora não obtive resposta... Não que eu esteja reclamando mas estou avaliando tudo que eu planejava fazer e que agora não faz mais parte da minha vida, sabe? Tipo trancar a faculdade. Eu achei que NUNCA fosse trancar a faculdade nem ficar em dúvida quanto ao curso. Agora, estou parecendo uma adolescente do último ano do ensino médio cheia de dúvidas quanto a que curso devo escolher. Não sei mais se é o certo voltar e fazer dois semestres de ciências sociais. Também achei que nunca mais fosse cortar o cabelo curto. Olha a vida brincando comigo de novo! Cortei suuuper curto e mesmo assim não está adiantando no controle da queda. Daqui há algum tempo sei que o inevitável ocorrerá: a careca. Não tô ligando muito pra isso agora. Andei ansiosa esses dias e mais uma vez tive que dizer pra mim mesma: calma, Ray! Um dia de cada vez. Parafraseando um ditado popular, sempre digo: "CADA DIA JÁ TRAZ SEU BEM". É isso. Cada dia traz seu bem. Não quero pensar em como estarei mês que vem. Quero pensar no agora e só uma coisa lá na frente: no dia em que a minha médica vai me olhar e dizer: vai Ray, pode ir. Você está curada.

domingo, 23 de junho de 2013

Eu deixo aroma até nos meus espinhos, ao longe, o vento vai falando de mim.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Náuseas

Alguém já teve a sensação de só de olhar pra comida dar vontade de vomitar? Pois é, estou assim desde segunda o tempo todo. Embora as náuseas tenham vindo com tudo na quimio 3, meu corpo está forte e sem dor! (Nem acredito que consigo dormir uma noite inteirinha sem reclamar das costas!) Tenho me alimentado mesmo sem vontade e feito o possível pra não perder o sorriso. Essa semana eu andei um pouco deprê por ter que tomar a decisão de cortar mais de 40 cm de cabelo. Isso me abalou muito mas já me recuperei e até tô gostando do chanel cacheado. Os dias tem passado correndo e parei pra analisar como o tratamento é rápido. Já fiz três sessões de quimio. Isso dá um total de 45 dias. Nossa! É muita novidade, muita informação pra menina da roça que até mês passado nunca tinha ido ao Rio de Janeiro. Semana passada fui sozinha ao INCA. Claro, que com meu tio me ligando de 5 em 5 minutos pra saber como eu estava. Achei uma vitória e tanto conseguir andar no centro do Rio e chegar ao meu destino final tranquilamente e sem cansaço! Ufa! Falando em cansaço ele chegou agora... Acho que vou tirar uma sonequinha até a próxima postagem. Termino essa postagem com uma frase de Reynaldo Gianecchini que enfrentou o linfoma não-Hodgkin e venceu assim como eu e tantos amigos vão vencer. Ela me dá ânimo e coragem: "Existem coisas reservadas pra gente que foge do nosso entendimento, mas que lá na frente vai fazer todo o sentido. Por isso nunca perca a fé."

terça-feira, 18 de junho de 2013

Quimio 3

Caramba, a quimio 3 foi a mais forte até agora. Tive muitas náuseas e fraqueza. Isso não é o mais difícil. O difícil é criar coragem pra decisão mais difícil até agora: cortar as madeixas curtinhas...

sábado, 15 de junho de 2013

A vida e suas surpresas

Todo mundo tem uma missão. Todas as respostas tem um porquê. Nada acontece por acaso.
Ter câncer quer dizer alguma coisa. Tem que significar algo. Não passaria por esse sofrimento à toa.
Preciso fazer alguma coisa de bom, contar a minha história, impactar pessoas, dar ânimo para os cansados, alegria para os que esqueceram o que é sorrir, chorar com os que choram.
Ter câncer me deixou mais humana, mais sensível, mais viva.
Estou ouvindo a vida, tentando seguir o caminho, tentando olhar o lado bom das coisas.
Decidi ser feliz com o que tenho em mãos. Se eu morrer, morro feliz.
É muito bom ver o carinho das pessoas comigo e a solidariedade. Retribuo escrevendo e sempre dando um sorriso.
Estou a espera de novas aventuras, das surpresas da vida, de tudo que vai acontecer.
O ar ficou mais puro, o céu mais azul e eu mais sensível.
Valeu, linfoma. Você veio na hora certa!

METADE

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca; 
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio...

Que a música que eu ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza;
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada 
Mesmo que distante;
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade...

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece
E nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta 
A um homem inundado de sentimentos;
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo...

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada;
Porque metade de mim é o que penso 
Mas a outra metade é um vulcão...

Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo
Se torne ao menos suportável;
Que o espelho reflita em meu rosto
Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei...

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria 
para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais;
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço...

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade para faze-la florescer;
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção...

E que a minha loucura seja perdoada 
Porque metade de mim é amor
E a outra metade... também.

Oswaldo Montenegro


“Não acho que tenhamos de entender o que acontece o tempo todo. Eu acho que, às vezes, é preciso simplesmente ter fé.”

(Um amor para recordar - Nicholas Sparks)



sexta-feira, 14 de junho de 2013

O mundo de Rayanna

Ontem foi um dia importante. Fiz o PET. É, aquele exame que estadia o nível do câncer e indica em que proporção ele avançou no corpo. Não sei ainda o resultado. Às vezes me sinto uma idiota por nunca ter percebido o carocinho. Fico me perguntando quanto tempo ele estava lá e eu nunca, nunca percebi. Eu sei que é um pensamento irracional mas não consigo parar de pensar nisso.
Não sou forte o tempo todo. Tenho minhas fraquezas, meus medos, minhas dúvidas. A cada lavagem de cabelo ele vem todo na minha mão. Está caindo demais. Não sei se vou ficar careca, mas não é agradável ver seu cabelo indo embora pelo ralo.
Outra coisa que tem me incomodado é o inchaço. A medicação da quimio faz com que eu retenha líquido e consequentemente, fique inchada. Engordei 4 quilos. Passei por uma nutricionista essa semana que me passou uma dieta mas disse que eu vou continuar engordando. Faz parte do tratamento e isso não é hora de pensar em beleza. Ah, tá... Por que eu pensaria em beleza, né?
A luta está aumentando. Meus dedos das mãos estão dormentes. Até digitar fica mais difícil. Tudo normal. Culpa da quimio. Segunda que vem faço a minha terceira sessão começando o segundo ciclo do tratamento.
Por enquanto é só. Acho que não estou tão inspirada para escrever hoje.

Barco

O Mundo de Sofia (Jostein Gaarder)
Somos um planeta vivo, Sofia! Somos um grande barco navegando ao redor de um sol incandescente no universo. Mas cada um de nós é um barco em si mesmo, um barco carregado de genes navegando pela vida. Se conseguirmos levar esta carga ao porto mais próximo, nossa vida não terá sido em vão.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Convivendo com o meu novo corpo.

Como inchei de um dia para o outro??? (Pós-quimioterapia)
Isso está afetando drasticamente minha autoestima.
As roupas estão apertadas. Os dedos inchados e a barriga está lá na frente.
Espero ficar linda e esbelta depois de passar pela nutricionista essa semana.

Hoje saí de casa e me senti muito cansada. Voltei rapidinho e dormi a tarde inteira.
Você aprende que o seu corpo está em outro ritmo e agora, você é quem precisa se adaptar a ele.
Às vezes me sinto uma velhinha de 80 anos.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Entenda o linfoma...


LINFOMA DE HODGKIN


Conhecida também como doença de Hodgkin, essa forma de câncer se origina nos linfonodos (gânglios) do sistema linfático, que produzem as células responsáveis pela imunidade e vasos que as conduzem pelo corpo. Pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas a maior incidência do linfoma é em adultos jovens, entre 25 e 30 anos. A doença surge quando um linfócito (tipo de glóbulo branco) se transforma em célula maligna, capaz de crescer descontroladamente e disseminar-se. A célula maligna começa a produzir nos linfonodos cópias idênticas (também chamadas de clones). Com o passar do tempo, há risco de essas células malignas se disseminarem para tecidos vizinhos e, se não houver tratamento, atingir outras partes do corpo. Nos últimos 50 anos, o número de casos permaneceu estável, enquanto a mortalidade foi reduzida em mais de 60% desde o início dos anos 70 devido aos avanços no tratamento. A maioria dos pacientes com linfoma de Hodgkin pode ser curada com tratamento adequado.

Estimativa de novos casos: 2.870, sendo 1.600 homens e 1.270 mulheres (2009)

Número de mortes: 483, sendo 260 homens e 223 mulheres (2010)

Pessoas com sistema imune comprometido, como consequência de doenças genéticas hereditárias, infecção pelo HIV e uso de drogas imunossupressoras, têm risco um pouco maior de desenvolver doença de Hodgkin. Membros de famílias nas quais uma ou mais pessoas tiveram diagnóstico da doença também têm risco aumentado de desenvolvê-la.

A doença de Hodgkin pode surgir em qualquer parte do corpo e os sintomas dependem da sua localização. Caso se desenvolva em linfonodos superficiais do pescoço, axilas e virilhas, formam-se ínguas indolores nesses locais. Se a doença ocorre na região do tórax, tosse, falta de ar e dor torácica podem se manifestar. Quando se apresenta na pelve e no abdômen, os sintomas são sensação de estômago cheio e distensão abdominal. Outros sinais de alerta são febre, fadiga, sudorese noturna, perda de peso sem motivo aparente e coceira na pele.

Fonte do Texto: Instituto Nacional do Câncer José Gomes de Alencar - INCA.
Sabe, acordei pensando no que é ter câncer. Eu sempre achei que pessoas com câncer estavam condenadas a viverem uma vida triste, sofrida e é claro, a ficar careca. Não foi nada disso que aconteceu comigo. Eu continuo a mesma menina de sempre. Ontem, ao parar pra analisar tudo o que ainda está por vir, tive uma leve preguicinha em saber de tudo que vou ter que encarar para ficar boa. Mas logo me recuperei e terminei o pensamento com a minha frase de sempre: Um dia de cada vez, Ray. Na última sessão, conheci uma menina com a mesma doença que eu. Ela tem 24 anos e luta desde os 21 contra o câncer. Gente, 3 anos lutando! Logo pensei: será que eu também ficarei anos assim como ela lutando contra o câncer? Sou muito ansiosa.  Não consigo me imaginar ficar anos em tratamento. A menina começou a sentir muita febre e não ia ao médico. Gente, por favor! Com saúde não se brinca! Se eu não fosse tão preocupada com a minha saúde, será que estaria aqui hoje?
Quando a menina descobriu o linfoma, estava com um tumor que media mais de 10cm no mediastino. Fez assim como eu 12 sessões de ABVD mas não foi suficiente para eliminar o tumor. Ela já fez transplante da medula que a deixou "curada" por mais de um ano. Agora ela volta ao INCA novamente com o crescimento do tumor. Ela está no estágio IV da doença. O mais avançado. É uma menina simpática, divertida e que luta pra viver. As sessões dela duram 4 dias durante 8 horas! Sabem o que é isso? Não tem mesmo como reclamar de nada depois de conhecer a Thaís. Ela sim merece toda a minha admiração.
A verdade é que ninguém pensa nem quer pensar que vai ter câncer na flor da idade. Que vai ter que parar a faculdade no final pra se tratar, que vai deixar os amigos de lado, que vai estar restrita a uma série de atividades que faria normalmente por causa da doença. Eu achei que isso era questão de tempo até a minha ficha cair e eu cair junta, mas vi que não era. Vi que realmente estava e continuo forte. É uma força e uma vontade de viver que ultrapassa todo o entendimento.
Chega uma hora que mesmo você recebendo todo o apoio de amigos e de gente que você nem conhece, você percebe que está sozinha e que a luta é só sua, sabe? Que ninguém mais, por mais que te ame, pode tirar das suas costas o peso que é um tratamento desse. Força é fundamental. Sempre.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Navegar - Fernando Pessoa


Sempre que alguma coisa me aflige leio esse poema e tudo se tranquiliza.

Navegue, descubra tesouros,mas não os tires do fundo do mar,o lugar deles é lá.Admire a Lua,sonhe com ela,mas não queiras trazê-la para Terra. Curta a luz do Sol,deixe-se acariciar por ele.O calor é para todos.Sonhe com as estrelas,apenas sonhe,elas só podem brilhar no céu.Não tentes deter o vento,ele precisa correr por toda a parte,ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde.As lágrimas?Não as seques,elas precisam correr na minha, na tua, em todas as faces.O sorriso!Esse deves segurar,não o deixes ir embora, agarra-o!Quem amas?Guarda dentro de um porta jóias, tranque, perca a chave!Quem amas é a maior jóia que possuis, a mais valiosa.Não importa se a estação do ano muda,se o século vira, conserve a vontade de viver,não se chega a parte alguma sem ela.Abra todas as janelas que encontrares e as portas também.Persiga o sonho, mas não o deixes viver sozinho.Alimente a tua alma com amor, cure as tuas feridas com carinho.Descubra-se todos os dias,deixe-se levar pelas tuas vontades,mas não enlouqueças por elas.Procure!Procure sempre o fim de uma história,seja ela qual for.Dê um sorriso àqueles que esqueceram como se faz isso. Olhe para o lado, há alguém que precisa de ti.Abasteça o teu coração de fé, não a percas nunca.Mergulhe de cabeça nos teus desejos e satisfaça-os.Agonize de dor por um amigo,só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.Procure os teus caminhos, mas não magoes ninguém nessa procura.Arrependa-se, volte atrás,peça perdão!Não se acostume com o que não te faz feliz,revolta-te quando julgares necessário.Enche o teu coração de esperança, mas não deixes que ele se afogue nela.Se achares que precisas de voltar atrás, volte!Se perceberes que precisas seguir, siga!Se estiver tudo errado, comece novamente.Se estiver tudo certo, continueSe sentires saudades, mate-a.Se perderes um amor, não se perca!Se o achares, segura-o!Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala."O mais é nada".O importante é ser feliz

Doe plaquetas no INCA!

         Doe Plaquetas. Salve vidas.


Essa madrugada está sendo difícil. Parece que a cada sessão de quimio o corpo fica mais debilitado. Estou fazendo vômito e muita diarréia. Está difícil mas vamos lá. Isso mostra que a química está fazendo efeito no meu organismo. Logo, logo vou ficar boa e chamar todo mundo que acompanha o blog pra tomar um suco natural de laranja! (Faz bem pra imunidade)!

terça-feira, 4 de junho de 2013

Onde tudo começou...

Bom, ainda é difícil falar disso mas vamos lá...
2013 começou difícil pra mim. Na primeira semana de janeiro, tive que me mudar definitivamente pra Campos por conta da faculdade. A greve não foi fácil e ainda rendeu pra gente estudar janeiro e fevereiro inteiro. No meio do caminho tive problemas com o meu relacionamento. Duas semanas depois, o homem que me criou como avô infarta e morre de repente. Mais algumas semanas depois, a avó do meu namorado também morre. Foi muita porrada pra pouco tempo. Tudo isso foi me fragilizando embora a força sempre tenha sido uma característica minha.
Uma semana depois do carnaval, num dia muito quente em Campos, eu passo a mão do pescoço para limpar o suor e percebo um carocinho bem acima da clavícula bem parecido com um carocinho de azeitona. Ele não doía nem incomodava. Na hora percebi que era alguma coisa séria pois sabia que não estava em processo infeccioso e também sabia que íngua doía. Entrei em casa e relatei pra uma amiga que parecia não acreditar na seriedade do problema. Sempre fui muito preocupada com a minha saúde e não descuidei dela em momento nenhum. Algo me dizia que o caroço merecia atenção e investigação e foi isso que eu fiz. Procurei um clínico geral onde ele me alertou sobre o perigo que era ter um carocinho nessa região sendo indolor e ainda mais sem nenhuma infecção aparente. Me passou um ultrassom do caroço e um exame de sangue. Foi aí que a história começou de verdade.
No dia do ultrassom, na hora que o médico veio fazer, ele me disse que eu não deveria me preocupar com o caroço no pescoço mas sim com o pulmão, pois o caroço era reação de alguma coisa maior. Me pediu para bater um raio-x do tórax e a única pergunta que ele me fez foi: "Você tem histórico de câncer na família?" Gelei na hora mas respondi tranquilamente que próximo a mim não que eu soubesse. No dia seguinte fui ao hospital bater o raio-x e a surpresa: estava com dois nódulos no pulmão. Lembro bem da minha reação. Gelei por dentro, meus olhos se encheram d'água e eu desmoronei dentro do consultório médico. Eu já sabia que era câncer. O médico disse que a última coisa que eu deveria pensar era câncer. Disse que podia ser qualquer outra coisa e me encaminhou para um pneumologista. Na mesma semana eu já estava me consultando com o médico especialista em pulmão. Ele me examinou de cima em baixo atrás de sintomas mas o meu câncer foi assintomático. Não sentia nada, só o carocinho no pescoço. Ele me passou um exame de PPD para ver se eu estava com tuberculose. Deu negativo como eu esperava. Depois disso, me passou uma tomografia do tórax para avaliar a densidade dos nódulos no pulmão e mais uma surpresa: eles tinham aumentado e agora totalizavam 4 com um chegando a medir 3cm. Mais uma vez sabia que era câncer. Levei os resultados pra ele e ele me disse que não tinha mais o que procurar que não fosse câncer. Marquei a biópsia do carocinho e uma semana depois estava com o diagnóstico em mãos. Estava no feriado de 1º de maio, chegando na praia de Rio das Ostras quando meu tio me ligou dizendo: "Rayanna, foi confirmado." Não tive reação triste. Agi com naturalidade. Já era o que eu esperava. LINFOMA DE HODGKIN. O Dr, Google já tinha me informado tudo sobre a doença e pra mim foi tranquilo receber a notícia. Estava aliviada pois agora já sabia o que eu tinha e como iria tratar. Curti a minha praia pois sabia que depois que começasse o tratamento seria proibida de andar no sol. Cheguei em casa depois do feriado, arrumei minhas coisas, peguei um encaminhamento médico e fui pro Rio. Estava decidida que queria me tratar no INCA. Ainda bem que fui pra lá. Desde o princípio fui muito bem atendida e estou sendo até agora. Dia 7 de maio fui matriculada e orientada por um oncologista a fazer uma série de exames. 20 dias depois já estava iniciando a minha primeira sessão de quimio. Vou fazer 6 ciclos de 2 sessões cada com a medicação ABVD. Ontem foi a minha segunda sessão e mais uma surpresa mas boa dessa vez: não tive efeitos colaterais e tenho passado muito bem. É claro que estou tendo uma série de cuidados com a saúde como ficar evitando sair ou me relacionar com muita gente, pois a imunidade abaixa muito e uma simples gripe pode piorar o meu quadro clínico.
Estou levando muito bem a minha nova vida. Vida de INCA. Tenho que ir lá quase todos os dias para infindáveis consultas, exames de sangue e quimioterapias. Entro sorrindo e saio mais feliz ainda, pois sei que cada passo dado é um passo mais próximo para a minha cura. Tenho 21 anos. Sou nova, meu corpo reage bem. Nunca pensei em morte. Penso que o câncer está vindo para me ensinar muita coisa. Podem ter certeza de uma coisa: 21 anos eu tenho na idade mas na vida já passo dos 40. Estou madura. Estou forte. Estou olhando a vida com outros olhos. O segredo é esse: sempre, em tudo que façamos, tente olhar as coisas com os olhos positivos. Esse é o segredo da felicidade e de felicidade, meu caro, eu entendo bem. Até a próxima!
Sabe, resolvi criar um blog para atingir mais pessoas com a minha experiência com o Dr. Hodgkin. Assim, fica mais fácil me acompanhar em todas as etapas do meu tratamento e CURA!